PARA ADVOGADOS


Você é advogado!


Neste BLOG continuaremos com nossas postagens sobre a advocacia, sobre gestão de escritórios de advocacia e atualizações legislativas e jurisprudenciais para advogados. É o seu lugar!


1 - A Profissão - postagens sobre o dia a dia da advocacia, gestão de carreira, dicas de profissionais, ética profissional, notícias sobre a classe, desafios da profissão etc.


Potencialize sua carreira!


2 - Gestão de Escritórios - postagens sobre gestão de escritórios, marketing jurídico, o que fazem os melhores escritórios, remuneração de pessoas na advocacia, gestão financeira, fixação de honorários, setores em crescimento e muito mais.


Como está seu escritório?


CADASTRE SEU EMAIL PARA RECEBER AS ATUALIZAÇÕES DO BLOG!

Quer indicar alguma publicação! Comente abaixo!

Advocacia Hoje Luis Fernando Rabelo Chacon www.cmo.adv.br

91 comentários:

  1. Boa tarde Dr., estive na palestra na noite de 28/02 realizada na OAB SP e não consegui elaborar minha pergunta/duvida ao Dr., na area trabalhista, cobramos os 30% no exito, mas não me ajuda nos custos mensais? o Dr. teria alguma ideia? tem como cobrar manutenção na área trabalhista? aguardo uma resposta e/ou sugestão. Gutemberg SP

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Gutemberg, Obrigado pela mensagem e desculpe pela demora!Se você advogada para empregados a situação é uma, e será outra se advoga para empregadores. Percebo pela sua mensagem que advogada com êxito, portanto, para empregados. O ideal é separar um percentual do valor recebido pelo escritório a cada entrada no caixa. No final do mês o valor arrecadado deve servir para pagar os custos/despesas, bem como para reservas focadas em investimentos do escritório. Obviamente, só com um fluxo de 6 a 12 meses é que você terá uma ideia se o percentual reservado tem sido suficiente. Imagine começar com 20% dos 30% recebido na área. Depois de 3 meses faça uma avaliação. Não acho possível cobrar manutenção nestes casos. Atenciosamente, Chacon

      Excluir
  2. Gutemberg, bom dia! A questão é avaliar se os 30% suportam as três bases de cálculo. De fato, 30% de um valor baixo pode sequer suportar os custos. São duas saídas: ou não aceitar o serviço sem uma taxa de manutenção para suportar os custos, ou então, incluir vários casos pequenos numa somatória que justifique manter os prejuízos ao lado de casos maiores, desde que isso faça parte de uma estratégia de marketing (ter prejuízo para manter a captação). São contas!

    ResponderExcluir
  3. Bom dia Dr., sou advogada iniciante, trabalho em um escritório com outro advogado desde que me formei (há 2 anos), moro numa cidade do interior do Rio Grande do Sul e tenho muita quero muito abrir meu próprio escritório, no entanto, sou muito insegura e quando os clientes chegam em busca de informação a respeito de um assunto que nao sei lhes orientar na hora, transmito minha insegurança e inexperiencia no olhar. Tbm tenho muito receio em audiências, parece que na hora o meu cérebro bloqueia tudo o que sei sobre o assunto em questão e fico inerte. Acredito que isso aconteça devido minha inexperiência, por isso gostaria que o Sr. me indicasse livros para me ajudar nesse sentido e/ou me desse dicas de como lidar com o problema. Desde já, adradeço a atenção.

    Alice

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia, Alice! Vi seu comentário e peço licença ao professor Chacon para acrescentar mais algumas sugestões para ajudá-la (e aos demais colegas que eventualmente lerem esta página).
      1) audiência é um momento sublime do processo, com um sem número de variáveis. Há técnicas para enfrentá-la, e bons cursos (de curta duração) preparatórios. Leia um bom livro de técnicas de negociação; saiba bem o assunto que vai ser tratado (prepare-se!, leia a inicial, a defesa, a réplica).
      2) quanto à insegurança no atendimento, a gente ainda a sente mesmo 30 anos depois de formado, após atender centenas ou milhares de pessoas (e os casos os mais diversos). É pro resto da vida, e acontece sempre que aparece um tema novo e desconhecido! Para diminuir essa vertigem, faça um bom formulário de atendimento inicial, onde vc coloca a) dados de qualificação do cliente, nome, telefone, email, endereço e o que mais achar útil; b) resumo do problema (resumo mesmo, separe o assunto importante d os detalhes inúteis); providências que já aconteceram; situação atual; prazo restante para agir. Após atendê-lo, explique que vc tem como método estudar caso a caso, sempre. Marque uma segunda entrevista, estude, encontre a(s) solução (ões) possível(is) - a gente não pode ter só o plano A, ok, é preciso ter o B, se der o C - e no próximo encontro diga ao cliente sua visão sobre o assunto. Não se resolve nada sem meditar, refletir, estudar.

      Boa sorte!

      paulo américo, de são paulo

      Excluir
  4. Alice, desculpe a demora! A insegurança é natural! E o tempo será seu aliado! Esteja sempre preparada para as situações e naturalmente você conquistará a necessária segurança. Alguns livros: Cartas a um jovem advogado e Oratória para advogados. Dicas: assista audiências de advogados mais experientes, conheça os juízes antes de ir para a audiência, e peça para advogados mais experientes ajudar na orientação sobre como atender os clientes em seu escritório. Atenciosamente,

    ResponderExcluir
  5. Dr. bom dia!!! Sou recém formado, moro em Teresina-PI, e tenho muita vontade de advogar, principalmente, na área trabalhista. Porém ainda não decidi se o melhor no momento é prestar serviço em um escritório como advogado empregado, ou constituir uma sociedade de advogados!Os problemas que vejo em ambos os casos são: (A) como empregado os salários pagos são muito baixos, altamente desmotivantes; (B)no caso de constituir um escritório falta experiência, e principalmente, causas pra suportar os custos e despesas de um escritório, além disso, como dividir lucros e despesas entre os associados? Divide-se tudo igualmente inicialmente? Fico com receio de alguns trabalharem mais que outros e receberem o mesmo valor a título de lucro!

    Desde já, agradeço a atenção!!!!

    Iglesias

    ResponderExcluir
  6. Prezado Iglesias, obrigado pela visita!
    Suas dúvidas são naturais. Todo iniciante tem essa dúvida: que caminho seguir? No seu caso, pense nisso:
    - pode ser positivo aproveitar um escritório para aprender e tomar experiência, fazer um caixa e escolher bem quando e como abrir seu próprio escritório;
    - pode ser positivo pensar em abrir escritório com algum advogado já mais experiente, que já tenha local e clientela que você aproveitará, de repente, alguém que não tem advocacia trabalhista no portfólio;
    - de todo modo, ao começar uma sociedade, mesmo que informal, ainda não inscrita nos quadros da OAB, é preciso colocar todas as regras no papel, para que tudo acerca dos lucros e dívidas seja perfeitamente definido. Combinado não é caro! Quem sabe, marcar uma revisão trimestral para redefinir o acordo até que seja formalizada a sociedade, e até prevendo desde o início como se dará possível rompimento da parceria.
    - você pode optar na sociedade, mesmo informal, que tenham um caixa único (entradas e saídas comuns), ou então, fazer caixas separados por profissional (aqui se divide custos e despesas e o lucro é individual). A primeira alternativa exige muita cumplicidade e efetiva parceria para que se ajustem os ponteiros com o decorrer do tempo, porém fortalece a visão de grupo e equipe, o que a longo prazo pode ser melhor.
    Acho que é isso!
    Leia também http://advocaciahoje.blogspot.com.br/2011/04/agora-que-sou-advogado-que-caminho.html

    ResponderExcluir
  7. Muito obrigado pela atenção dispensada!!!

    Iglesias Silva

    ResponderExcluir
  8. Legal conhecer este espaço para troca de informações entre os profissionais do direito.
    Parabéns pelo trabalho!

    ResponderExcluir
  9. Olá, primeiramente gostaria de parabenizar pelo trabalho, sem duvidas ler palavras incentivadoras e orientadoras como estas são fundamentais para o inicio de qualquer carreira. Bom, me formei no inicio do ano, acabei de receber a Carteirinha da Ordem e, como ja possam imaginar, estou cheia de duvidas, inseguranças, sonhos, enfim, uma gama de sentimentos que fica até dificil expressá-los.. sr busco aqui uma orientação, sempre fui apaixonada pela advocacia, meu pai é advogado e esse amor ja vem do berço, mas as coisas por aqui são tão dificeis que preferi ficar so nos estudos, na busca pelo tao desejado concurso, mas o sonho de advogar ainda permanece. Atualmente trabalho, mas em outra área, nada ligado ao direito, e isso, me frusta srs.. tenho uma pequena estabilidade por conta disso, mas não é o que quero.. Com a experiencia que tem, é viável seguir na advocacia? Os beneficios superam os inumeros obstaculos? essas minhas duvidas parecem mais um desabafo srsr mas enfim, se leu ate aqui, desde ja agradeço a atenção!!! EMILLE

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nossa esse seu comentário veio de encontro a minha situação. Agradeço por não ser apenas eu que vivo esse super medo.

      Excluir
  10. Cara Emille, continue sonhando, pois a advocacia é a profissão mais promissora dos próximos anos no Brasil. Há muitos textos falando sobre isso. Aproveite a estabilidade para começar com a advocacia aos poucos, e aproveite a experiência anterior para ter alguma expertise extra na advocacia! Esse pode ser seu grande diferencial em busca de uma real especialização que lhe destacará no mercado! Grande abraço e sucesso!

    ResponderExcluir
  11. Olá,
    Acabo de me formar, no entanto ainda não consegui ser aprovado na OAB. Estou estudando para a prova de Abril/2013.
    Acontece que surgiu uma oportunidade para cursar uma pós-graduação em direito empresarial, cuja área está entre as que desejo atuar.Agora fico na dúvida se me dedico integralmente ao estudo para a OAB ou se divido a minha atenção com a Pós-Graduação.
    Por mim, eu enfrentaria, mas algumas pessoas começaram a me desencorajar.
    Penso que seria até bom, uma vez que a segunda fase do exame seria também em Direito Empresarial, visto que tenho amplo domínio na área.
    Gostaria de saber a sua opnião, como profissional experiente!
    Desde já, obrigado!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega, é perfeitamente possível cursar a Pós Graduação nesse momento, basta não perder o foco nos estudos e até usar as aulas da Pós para a prova da OAB, inclusive, para a segunda fase! Conheço muitos alunos que fazem ou fizeram isso.e a avaliação deles é positiva! Grande abraço e sucesso!

      Excluir
  12. SOU INICIANTE E ESTOU TENDO MUITAS DIFICULDADES DE INICIAR UMA CARTEIRA DE CLIENTES, TENHO SITE E FAN PAGE, PORÉM OS CLIENTES AINDA NÃO VIERAM, MESMO TENDO UMA SALA COMPLETA PARA RECEBE-LOS. OUTRA DIFICULDADE É QUE OS POUCOS CLIENTES QUE VIERAM, EM GERAL NÃO ACEITAM PAGAR A CONSULTA E NEM HONORÁRIOS, APENAS QUE RECEBA OS HONORÁRIOS DE RESULTADO NO FINAL DA AÇÃO. O QUE FAZER????

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado(a)?
      Primeiro é preciso reconhecer que a advocacia depende de tempo. O que orientamos é batalhar, através de planejamento e ação estratégica, para que esse tempo seja o menor possível. Veja uma postagem que fiz sobre como 'planejar estrategicamente seu escritório'! Mas, pela leitura do seu comentário gostaria de sugerir: não espero o cliente! Ele não virá sozinho ao escritório, você precisa conhecer pessoas, fazer networking e com isso atraí-las para o escritório. Pense em não ganhar em algum caso que seja relevante, pelo assunto ou pelo cliente, como um chamariz inicial! Pense na última postagem que fiz sobre Coworking! Grande abraço e sucesso!

      Excluir
  13. Parabéns pelo espaço. Vamos trocar idéias. É assim que os profissionais de direito podem conhecer melhor seu mercado e seus desafios.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado e participe deixando comentários e divulgando o blog! Grande abraço

      Excluir
  14. Sou advogado atuante desde o inicio dos anos 80.No inicio tive muita dificuldade porque trabalhava muito e ganhava pouco. Após minha inscrição na OAB/PE mandei fazer dois mil cartões, com indicação do meu telefone e endereço do escritório, comprei um fax que á época estava em uso. Distribui todos os cartões as pessoas que eu achava que não ia rasgar. Passei a ler todo tipo de processos com seguimentos no direito. Ponto principal, ler constantemente todos os assuntos para poder ter uma resposta certa para cada indagação ou consulta.
    O preço do seu trabalho a ser cobrado será medido pela necessidade da prestação do seu serviço para o cliente.

    Luiz Barbosa

    ResponderExcluir
  15. Obrigado pelos comentários Luiz Barbosa! Continue participando e contribuindo com o blog! Grande abraço

    ResponderExcluir
  16. Olá Doutor, que interessante seu site! Bom, sou formada em Direito desde 2006, tenho a OAB mas nunca advoguei, não me vejo em tal profissão. Acabei fazendo a faculdade de Turismo e hoje em dia gostaria de aliar as duas, pois já pesquisei e li vários artigos na área do Direito do Turismo. Além disso me interesso bastante na área de administração de escritórios, marketing jurídico. Gostaria de uma opinião.
    Obrigada Kamila

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Kamila! Hoje a função de gestão legal está em alta. Ontem mesmo fiz um curso sobre "controladoria jurídica". Conheça também o site "estratégia na advocacia" e veja quanto conteúdo tem lá. Imagino que se focar nisso haverá mercado!
      Além disso o Direito do Turismo é um ramo de alta especialização, e com grande demanda atual e futura! Uma hipótese a considerar também!
      O importante é ter dedicação, planejamento e foco, que uma hora a coisa vira!
      grande abraço

      Excluir
  17. Olá Doutor !
    Sou advogada recém formada e pretendo abrir uma sociedade como uma amiga que tem um pouquinho a mais de experiência que eu. Gostaria de saber se há problemas em montar um sociedade em registrar na OAB, ou seja como funciona a legalidade da sociedade informal. Se é possível fazer cartões de visitas, papeis timbrados com o nome da sociedade.
    Se possível também gostaria de dicas para captação de clientes, pois pretendo usar uma sala em um prédio comercial, o prédio fica em uma avenida comercial. Obrigada ! Grande abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Cara colega,
      A sociedade formal não é obrigatória no começo, pois sabemos do custo que isso significa. Mas, deixe a documentação pronta, ou seja, redija o contrato da sociedade sem protocolar, entende. Leia a pastagem que escrevi abre como montar seu escritório de advocacia, lá também há dicas sobre isso!

      Excluir
    3. Não é possível fazer cartões de visita ou usar o nome da sociedade. Sobre dicas de marketing também publiquei duas postagens sobre dicas de marketing. Veja no histórico de postagens na lateral esquerda do blog. Sucesso!

      Excluir
  18. Boa Tarde Doutor. Assim como outros tenho minhas dúvidas, gostaria de iniciar minha carreira e estou organizado ideias para o risco ser mínimo, tenho planos de abrir o meu escritório de advocacia e a primeira ideia seria usar minha residência "não tenho filhos e sou casada" seria como ponta pé inicial...esta e bastante grande com espaço para estacionamento e duas salas livres para montar o escritório. A dúvida é quanto a residência? Fica legal receber meus clientes em minha casa? ou é proibido pela a ordem?.
    Atenciosamente
    Maria

    ResponderExcluir
  19. Prezada Maria, não há proibição. Mas, a escolha deve levar em conta alguns fatores como o cisto, a clientela, a logística, etc. Veja a minha pastagem sobre como montar um escritório de advocacia, onde esclareço esses pontos. Sucesso!

    ResponderExcluir
  20. Caro Professor Chacon. Estou escrevendo por que já conversei com muitas pessoas e elas parecem não me entender. Me formei em 2010, e já abri um escritório passei na OAB antes de formar. Tenho conseguido me sustentar com esposa e dois filhos, moro em uma cidade pequena 100 mil habitantes no interior de Minas Gerais. Sempre sonhei em ser expert em determina área do direito, referencia mesmo, pois creio que isto traria certa estabilidade. SEmpre gostei de Direito do TRabalho então me especializei nessa área. QUeria ser professor, busquei e consegui uma vaga na faculdade que me formei, contudo na área de D. Administrativo. E estou estudando para o mestrado em Direito Público com enfase em Direitos Fundamentais. O problema é que fico louco por advogar em uma área e dar aulas em outra área, ou por fazer mestrado em uma área e advogar em outra. Aqui em minha cidade não tem mercado para advocacia na área administrativa... então fico com esse dilema sempre. Gosto de D. Público, mas advogo na trabalhista, nunca vou ter um conhecimento profundo e especializado desta forma, e para piorar gosto da área trabalhista também. Difícil né .. Pode me ajudar?? Será que tenho problemas mentais??. Abraço e obrigado por este espaço.

    ResponderExcluir
  21. Prezado Dr. Luis Fernando.
    Sou advogada em uma empresa prestadora de serviços para a Administração Pública em geral, e atuo principalmente no acompanhamento de Licitações e Contratos Públicos. Você considera esta uma boa área para se investir em especialização? É atualmente um campo que carece de advogados especializados? Digo isto, pois não descarto totalmente a possibilidade de abrir meu próprio escritório, no qual pretenderia manter enfoque na prestação de serviços de consultoria na área para outras empresas, sem exclusividade. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. É uma ótima área, mas é preciso ter muito foco para buscar oportunidades e atuar nelas. A sua experiência e networking no setor é fundamental! Acredite!

      Excluir
  22. bom dia,
    por favor o Sr. poderia me orientar onde fazer a pós graduação em direito das telecomunicações? Moro no Recife PE e tenho muita vontade de fazer porém não tenho conhecimento qual o curso é bom, tirei a carteira da ordem agora e já estou fazendo a pós em direito trabalhista por ser uma área que tem muita procura.
    No aguardo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Danielle, não sei te indicar! Olhe no site da ANATEL, vai que tem alguma notícia lá! Pesquise advogados que atuam na área, mesmo que em grandes empresas ou escritórios e veja onde estudaram! Sucesso!

      Excluir
  23. Bom Dia,Dr! Estou no 9º semestre do curso com previsão de formatura até final do ano que vem e atualmente estou fazendo estágio em um escritório especilista mas no ramo do crime. Ocorre que estou muito desmotivada com o curso pelas dificuldades que ouço falar... Como já não sou mais uma moçinha de "22 anos" E SIM DE 33 anos e também pelo fato de já estar quase me formando, não tenho coragem de trancar o curso, afinal de contas já investi muito dinheiro e tempo. Concordo que temos q ter FOCO e seguindo isso conseguimos chegar lá..Porém penso que se eu for fazer uma pós em Direito do imobiliário ou tributário poderei me colocar no mercado de trabalho. Acabei de ler no seu post algém ter mencionado que advogado tributarista tem dificulddae no início da carreira? Pretendo trabalhar em um escritório, talvez até ser contratada por este que estou. O que o Senhor acha qual melhor pós escolho ? Desde já agradeço a atenção!!!! grande abraço e Parabéns!!!

    ResponderExcluir
  24. Com o andar da carruagem as abóboras se ajeitam... vá seguindo que o enquadramento chegará. Mesmo dando aula de D. Adm. que tal uma pós em Direito do Trabalho? Eu faria isso! Afinal, para a instituição de ensino isso não faz diretamente diferença, então, basta ter o título de mestre. Ademais, nada que não se resolva com uma dissertação sobre direito administrativo focado na área trabalhista! Sucesso!!! Abraços

    ResponderExcluir
  25. Muito bom esse blog. Estou acompanhando ja tem um tempo e estou indicando para os colegas advogados. Abraços e Parabéns.

    Paulo Henrique Matos
    OABMG 118579
    OABSP 251974

    ResponderExcluir
  26. OLA DR, SOU RECÉM FORMADO, PASSEI NA OAB, MAS ESTOU EM UM DILEMA: SOU POLICIAL MILITAR EM MEU ESTADO, GANHO 3.100,00 R$, MAS TENHO UM SONHO A REALIZAR: SER ADVOGADO.
    NAO SEI O QUE FAÇO POIS TENHO 15 ANOS DE EFETIVO SERVIÇO, TODOS ME DIZEM PARA NAO SAIR DO SERVIÇO PUBLICO, MAS ESTOU MUITO INQUIETO PARA REALIZAR ESSE DESEJO.
    MEU MAIOR MEDO É QUE INICIALMENTE SEI QUE É DIFICIL RECRUTAR CLIENTES, TENHOI MUITO MEDO EM NAO CONSEGUIR TER UM RETORNO SATISFATORIO INICIAL E PASSAR DIFICULDADES FINANCEIRAS.
    POR ISSO PASSO ESSA MENSAGEM, QUAL O TEMPO PARA QUE UM ESCRITORIO COMEÇE A ENGRENAR, QUAL SERIA O CAPITAL INICIAL PARA QUE EU TENHA JUNTO PARA MINHAS DESPESAS INICIAIS, ETC.
    DESDE JA AGRADEÇO!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Carlos, as perguntas que me fez dependem de muitos fatores para que encontremos respostas. A questão financeira de hoje, e do futuro, com a aposentadoria e até mesmo a clientela que pode alinhar na sua atual carreira são pontos a considerar. Ademais, não existe um tempo certo para se ter retorno, nem um valor certo para investir inicialmente, tudo isso é muito relativo. Leia um pouco sobre plano de negócios. E com calma avalie o maior número de variáveis possíveis. Sucesso!

      Excluir
  27. Mas uma vez venho agradecer pelas dicas... sou recém formada e estou na dúvida e que área na atualidade é mais prospera para fazer pós graduação devido a demanda de profissionais...ambiental, previdenciário, trabalhista ou civil (família) . Estou estudando para o exame da ordem, porém devido eu já estar na casa dos 40 anos, não posso mais perder tempo.Dois colegas de faculdades vão abrir um escritório e me chamaram para eu ficar junto com eles em sociedade porque quando eu estiver com a carteira da OAB já estarei integralizada na área e com escritório instalado. Minha dúvida é o que devo dar prioridade agora além do exame da ordem? E qual área para pós mais promissora? moro em Maceió, cidade pequena porém movimentada. Existem muitos advogados aqui. RESSALTADO que aceito sugestões, de uma pessoa com tanta experiência e boa vontade como vossa pessoa.

    OBRIGADA! Ana Lucia.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foco no Exame. Depois, veja o que mais lhe agrada, isso é o mais importante. Com paixão e dedicação vamos longe....

      Excluir
  28. Olá!

    Gostaria de entender um detalhe que aconteceu em um processo recente.
    Na minha região hoje é comum os advogados não cobrarem honorários e sim somente 30% do valor ganho na causa.
    O juiz discriminou R$ 10.000,00 por danos morais causados por um acidente
    e R$ 2.100,00 para ajuda de custo com advogado.
    Qual o valor que o advogado deveria receber?
    Pois ele combinou que seria apenas 30% do valor recebido.
    Agradeço muito se puder me ajudar.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nestas causas esse reponde contrato é comum. O advogado terá direito aos honorários contratuais e sucumbencia, somente.

      Excluir
  29. Gostaria de parabenizar vocês pelo Blog. Encontrei por acaso e estou achando fantástica esta troca de idéias. Sou advogada no Rio Grande do Sul e trabalhava com meu ex-marido e sogros. Após a separação, há 03 anos, simplesmente tive que recomeçar tudo do zero, inclusive carteiras de clientes. Abri meu próprio escritorio e ainda sinto muita dificuldade em fazer um capital de giro, mesmo tendo muitas ações em andamento. Os cartórios aqui foram todos estatizados e a demora no andamento dos processos é cada vez pior. É extremamente frustrante. As vezes sinto dúvida sobre se faço de tudo um pouco ou me especializo mesmo, muito embora meus principais processos sejam na area trabalhista e na area da saúde. Gostaria de trocar idéias sobre formas de divulgar escritorio, fazer dele uma marca reconhecida e de competência. De qualquer forma, obrigada pelo espaço. Estou encantada com este blog.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado! Leia aqui mesmo no blog sobre os temas que procura!!!

      Excluir
  30. Olá Dr. Chacon, achei seu blog e já estou empolgadíssima com todas suas dicas. Minha história é bem parecida com as que eu acabo de ler sobre como começar na carreira jurídica, insegurança e tudo mais. No entanto acredito ter um complicação maior: me formei há 10 anos e nunca atuei na área e agora vou recomeçar os estudos para a prova da Ordem e gostaria de saber se o Sr. tem alguma dica de curso de atualização, ou algo do tipo. Desde já agradeço sua atenção, que aliás vejo ser iluminadora para todos aqui. Maria.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Foco na prova! Depois escolha uma área principal para se atualizar e especializar, de preferencia que lhe agrade!

      Excluir
  31. Boa tarde Luis.Sou formado em Direito desde 1992,nunca exerci a profissão de advogado apesar de ter a carteira da ordem .Sou militar da reserva e trabalho com manutenção de aeronaves,atualmente,estou desempregado e gostaria de exercer a advogacia,mas,como tenho uma idade avançada (56 anos) os poucos amigos amigos que tenho que são advogados se negam a me ajudar quando peço uma orientação de como iniciar na área,parece que eles tem medo de me indicar o caminho das pedras ou tem receio que eu vá acioná-los na justiça de alguma forma por ter trabalhado sem carteira assinada.Sei que advogar é muita responsabilidade e não quero arriscar com o destino dos outros sem ter conhecimento.Gostaria que me orientasse como eu inicio meu egresso na advogacia:tentei estágios em defensoria e procuradoria pública,mas só aceitam universitários .o que devo fazer?Um abraço.

    ResponderExcluir
  32. É preciso começar.... Com causas pequenas e mais simples.... Mas, começar! E a prática será sua escola!

    ResponderExcluir
  33. Boa tarde Dr. Chacon, sou um jovem advogado, tenho uma dúvida acerca da possibilidade/legalidade (afronta ao Estatuto ou Código de Ética da OAB) de dividir despesa de um escritório com profissional de outra área, haja vista que o artigo 16 do Estatuto da OAB somente proíbe fazer sociedade com profissional de outra área. Resumindo, recebi uma proposta de abrir meu escritório dentro de uma clínica de psicologia, não fazendo sociedade, somente dividindo aluguel, energia elétrica, água e, talvez, secretária (esta não de início), ou seja, dividir despesas de um prédio, sem vinculação alguma, até mesmo a placa na faixada seria separada. É possível? Afrontaria a Ética da profissão? Por favor, responda-me.... fiz esta pergunta para vários colegas e não obtive resposta. De já agradeço e parabenizo-lhe pelo trabalho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Caro colega, não vejo como afronta a divisão de despesas somente, sem qualquer "sociedade". Só perceba que a captação de clientela é que é o problema, portanto, fique atento neste fator, pois a ética vedaria tal facilitação através do uso de espaço comum. No mesmo sentido, cuidado com a publicidade do local, a da psicologia pode ser diferente da jurídica! Um abraço

      Excluir
  34. Boa tarde, Sou funcionário público ganho pouco mais de 4500,00 por mês. Me graduei em direito em 2013 e ainda no 9º período fui aprovado na OAB. Além da graduação em direito, sou graduado em Adm de Empresas com especialização em gestão de recursos humanos. Sou apaixonado pelo direito e tenho consciência que ingressar em um mercado já saturado vai ser sacrificante. Estou pensando seriamente em pedir exoneração de um cargo público com um plano de carreira bom para entrar com unhas e dentes na selva. Meu plano será o seguinte, vou aproveitar meu salário fixo todo mês, e custear um escritório em sociedade com um advogado de confiança e com alguma experiência e assim que o escritório começar a ter lucro ( 1 ano e meio depois...), começo a 2ª parte do plano, solicito minha exoneração para poder advogar. Li todos os posts e achei bem interessantes. Mas uma coisa eu falo, no mercado existem advogados e advogados, quem se destaca hora ou outra terá seu trabalho reconhecido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Planejar é a melhor saída e não depender somente da advocacia num primeiro momento pode ser mesmo positivo! Sucesso!

      Excluir
  35. Bom dia, ocorreu algo super chato, no trabalho eu no início de carreira para pegar experiência fiquei em um escritório não é de advocacia é uma empresa que reabilita crédito e em contrato ficou honorários sucumbenciais de 50% para mim e para a empresa. Na verdade como eu estava querendo aprender no início nem me preocupei. Um outro advogado esteve lá porém sem contrato e fizemos uma ação juntos, ganhamos ai os honorários sairam ele foi pegou o dinheiro e me deu 50% e falou que depois falava com o dono do escritório e não devolveu por entender que o restante é dele e pensei por conta do contrato eu não sou obrigada a dar do meus 50% para o escritório não é mesmo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Verifique a sua regra de contratação, as regras de sucumbencia do CPC e o que diz o CED da OAB, ok?! Eu perguntaria ao meu chefe.

      Excluir
  36. Boa Tarde Dr. Luis Fernando,

    Gostaria de um conselho seu. Sou servidor publico e estou cogitando pedir exoneração p/ começar a advogar. Formei em 2012 em Direito e fui aprovado no exame da ordem, mas ñ posso advogar devido ao meu cargo.
    Nunca advoguei pois já era servidor qnd formei em direito, acredito q seria uma função mt gratificante p/ mim. Minha duvida é justamente pelas dificuldades iniciais q vejo muitos narrarem. Ao mesmo tempo q tenho vontade d advogar ñ posso simplesmente decidir isso sem pesquisar bem, pois meu salário ñ é dos mais altos, mas considero razoável (R$ 8500 líquido). Qual seu conselho p/ como posso começar a me preparar p/ advogar caso decida pedir exoneração? Flávio

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Equilibrar a certeza com o futuro. Planejar como deixar o certo para assumir o variável da advocacia ... Usar sua experiência profissional anterior para aumentar as chances de atuação e diminuir o tempo de retorno ... Sucesso!

      Excluir
  37. Ola, advogado pode ter carteira de trabalho assinada com outra função?
    Para ficar mais claro um ex: Sou advogado e trabalho em uma empresa como aux. administrativo...posso manter minha ctps assinada como aux. adm?
    Muito interessante este espaço, parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A questão trabalhista deve ser tratada como qualquer outra. Primazia da realidade sobre a forma. Qual a função se exerce? Se advoga, deve ser anotada como advogado. Sucesso!

      Excluir
  38. Olá, Dr. Sou recém formada e aprovada na OAB, mas ainda não comecei a advogar. Me formei no litoral de SP e voltei a morar na Capital recentemente. Não conheço profissionais aqui, uma vez que fui para o litoral ainda adolescente e minha família não tem tradição no Direito. Alguma sugestão de como devo começar? Acredito que todo direcionamento é bem vindo. Desde já agradeço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dra, busque estabelecer contatos! Retome possíveis contatos antigos e se preciso busque apoio de professores para te ajudar nisso. Um curso de pós graduação também pode ser útil para isso, ok! Sucesso

      Excluir
  39. Olá Dr. Pretendo montar um escritório, porém, estou com uma dúvida que, estou até com vergonha de perguntar, porque me parece bem simples, mas como não tenho a quem fazê-lo, vou encarar, rsrs. É a questão da placa na fachada do imóvel do escritório. Existe tamanho padrão, por conta de exigências da OAB ou da Lei da Cidade limpa? E como não terei sócio, somente eu irei trabalhar, tenho que mencionar só "advogada ..."? Ou poderei colocar "advocacia ..."? Enfim, o doutor pode esclarecer isso? Agradeço a atenção do doutor.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá ! Existem regras de posturas municipais e regras éticas da OAB, é importante conferir! Se for advogar sozinha, pode colocar "advogada", mas com o número da OAB.

      Excluir
  40. Olá Professor. Parabéns pelo seu blog, é de grande valia para iniciantes e também para os que já estão na estrada a algum tempo.
    A minha indagação é sobre o seu livro Gestão para Advogados. Quero comprar, mas não encontro. Nem na Saraiva. O dr. sabe se terá outra tiragem ou edição? enfim, se voltará a ser vendido?
    Grata, Neuza.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Neuza, tente encontrar pela internet. Saliento que é importante ligar no 0800 da SARAIVA e solicitar apoio para localizar para vendas, ok? Ou mandar email para o SAC no site da editora! Obrigado

      Excluir
  41. Olá, meu nome é Fernando, e eu acabei de passar na prova (XIV Exame) e me inscrever na OAB. Eu gostaria de abrir o meu próprio escritório futuramente, mas como eu não fiz estágio em nenhum escritório eu gostaria de trabalhar em um escritório, com advogados mais experientes, por pelo menos um ou dois anos, para adquirir experiência (e guardar algum dinheiro). Por isso eu gostaria de alguma dica de como eu poderia entrar em um escritório (como advogado empregado/associado, eu não me importaria com um salário inicial baixo, pois como Robert Kiyosaki diz "não trabalhe pelo dinheiro, trabalhe para aprender", e eu estaria lá para aprender). Eu mandei apenas alguns currículos e ainda não tive retorno. Eu não sei se eu mando currículos agora (eu sou apenas formado em direito e tenho pouca experiência profissional), ou se espero um pouco, pois atualmente estou tentando ingressar em algumas Pós/MBA em grandes Universidades (eu acho que isso seria positivo para o meu currículo). Eu atualmente sou funcionário público, mas a minha função não é jurídica (o que além de ser frustrante, não contribui em nada para o meu conhecimento - sério!! eu não apreendo nada no meu trabalho), por isso eu gostaria de entrar em um escritório o mais rápido possível.

    Agradeço atenção.

    Fernando

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fernando, siga em frente, este é o caminho! Seria interessante algum contato para lhe indicar em algum escritório, algum conhecido da faculdade, algum professor. Além disso, a Pós ajudará no currículo e na rede de relacionamentos! Grande abraço e sucesso!

      Excluir
  42. Bom dia, eu estou pensando em abrir o meu próprio escritório, mas me veio uma dúvida (inclusive em não vi nenhum livro sobre gestão de advocacia tratar desse tema - "os arquivos iniciais do advogado em início de carreira"). A minha dúvida é a seguinte: como eu devo proceder com os arquivos "iniciais" do escritório? Um escritório trabalhando há anos já tem muito material (e um advogado que saia de um escritório de outro para montar o seu próprio escritório também possui seus arquivos), porém, um advogado que acabou de se formar e passar na OAB e nunca estagiou ou trabalhou em um escritório não tem material nenhum. Por exemplo, se um cliente vem pedir algo, o advogado não vai ter nem ao menos um modelo de peça, não vai ter jurisprudência, artigos, capítulos de livros "previamente separados", etc. Esse tipo de coisa se consegue ao longo do tempo na profissão (eu imagino, pois nunca ouvi falar de alguém que "vendesse" todo o arquivo inicial de escritório, tudo pronto para ser usado). Então a minha dúvida é: como eu posso minimizar isso? O que eu posso fazer para suprir a falta desse "arquivo próprio"? Como eu nunca advoguei (e tenho certeza que tem muita gente na mesma situação que a minha) eu não tenho "meus arquivos" e também não sei como montar um "arquivo inicial" para, pelo menos no início, suprir a falta desses importantes documentos.

    Eu sei que existem muitos livros como "Manual de Prática do Advogado" (João Roberto Parizatto) ou "Manual do Advogado"(Valdemar P. da Luz), mas eu não acho que apenas livros como esses sejam suficientes, ainda iria faltar alguma coisa (que eu, por não ter experiência, não sei o que é)

    Desde já agradeço.

    Edd.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Prezado Edd., sua preocupação é comum para todos os advogados. Contudo, considero que não é primordial ou demasiadamente relevante se preocupar com isso. No começo você terá tempo para pesquisar e criar, aos poucos, o seu conteúdo, com a sua cara e com a sua qualidade. Quando você decolar na profissão seu conteúdo todo estará pronto, tenha certeza! Vale, nestas horas, ter livros de prática processual, para o começo! Grande abraço e sucesso!

      Excluir
  43. Olá, meu nome é Carlos, sou advogado em inicio de carreira, mas pretendo especialização na área de Direito Digital. O que acha da área e qual sua opinião sobre montar um escritório em casa, obviamente que separando um espaço exclusivo?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A área é promissora, mas demora tempo para se estabelecer em setores tão especializados. Insista! Sobre montar o escritório em casa depende muito da clientela e do tipo de serviço que realizará. Abç

      Excluir
  44. Boa Tarde, ao contrario da maioria, me formei há 6 anos e ainda me sinto muito perdida. Assim que me formei e passei no exame de ordem trabalhei por dois anos num escritório bastante pequeno e pude adquirir uma certa experiência. Após essa fase passei por sérios problemas de saúde e fui obrigada a me afastar por mais de um ano. Posteriormente, passei a advogar em parceria com uma amiga, trabalhavámos em casa mesmo e ela por ser mais falante que eu era a responsável pela captação de clientes. Ocorre que hoje ela decidiu trabalhar numa empresa e me senti totalmente perdida, pois já me acostumei a trabalhar como autônoma, porém, por mais que eu me esforce me sinto insegura. Não tenho capital para montar um escritório, e os processos que estão em andamento são para recebimento a longo prazo. Gostaria de algumas dicas de como fazer para conseguir um resultado a curto prazo para conseguir montar meu escritório. Grata

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não é uma resposta fácil. Depende de diversos fatores. O importante é não desistir!

      Excluir
    2. Olá Luciane, desculpe-me a intromissão.

      Excluir
  45. Prezado Dr. Chacon, boa noite!!

    Achei fantástico o seu blog, pois serve de apoio para quem está iniciando, como eu. Parabéns!!
    Sou recém formada e obtive aprovação no XVIII exame da OAB. Porém, não possuo experiência na área do direito trabalhista, a qual eu pretendo advogar. Por tal motivo, estou com dificuldades de conseguir emprego, pois me candidatei a várias vagas e não recebi retorno de nenhuma delas. Tens como me dar dicas para que o meu currículo seja mais atrativo, mesmo sem experiênciaS? Obrigada. VANESSA!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vanessa, o networking ajuda nas colocações. Pense em fazer contatos, ampliar contatos em eventos, etc. Isso potencializará suas chances. Quanto ao CV, destaque atividades que chamem a atenção do avaliador, como projetos e cursos da faculdade, algo que a destaque do trivial! Sucesso

      Excluir
  46. Prezado colega, boa tarde! Vi seu blog e achei muito bacana a ideia e lhe parabenizo por disponibilizar tais informações e por responder aos demais colegas sobre as dúvidas rotineiras. Sou advogada iniciante e estou abrindo um escritório junto com outros 3 amigos advogados. Mas a nossa ideia inicial é ter um espaço para 4 advogados autônomos e não formar uma sociedade, pelo menos não nesse momento. Não consegui encontrar muitas informações sobre tal "procedimento" na internet. Sei que muitos advogados fazem isso e já li decisão do TED SP falando que advogados podem sim dividir um escritório sem formar sociedade. Minha dúvida principal é se podemos colocar um nome no escritório ou se isso nos tornaria uma sociedade informal. Ex: Pereira Rocha e advogados ou Pereira Rocha Advocacia (Pereira Rocha é somente 1 dos advogados) ou seria melhor utilizar somente "Escritório de Advocacia"? Desculpe a pergunta. Somos inexperientes e esse tipo de coisa não consegui encontrar pela internet. Muito obrigada. Cassia

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Leia, inicialmente, o post abaixo indicado. Em tese não podem se intitular uma sociedade, se não o são. Cada um deve se propagar individualmente, salvo a criação formal da sociedade.
      http://advocaciahoje.blogspot.com.br/2013/05/como-comecar-advogar-como-montar-meu.html

      Excluir
  47. Boa tarde Dr., Eu e minha ex colega de faculdade estamos montando um escritório de advocacia compartilhado para divisão de custos. Até onde eu sabia essa seria a modalidade "advogados associados" e não precisaria de registro civil de sociedade. Porém, achei o código de ética confuso nesse sentido. Vale dizer que não queremos caracterizar uma sociedade de advogados. Aguardo, pois pelo que vi suas respostas são muito boas, parabéns pelo belo trabalho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dra. Bom dia! Até onde conheço, smj, não é permitida esta divulgação de uma sociedade informal, ok! Veja melhor com a comissão de sociedade de advogados do seu Estado ! Grande abraço

      Excluir
  48. Boa noite Dr. Luiz Fernando. Primeiramente, gostaria de parabenizá-lo pelo excelente Blog. A situação é a seguinte: eu e mais dois colegas montamos um escritório de advocacia compartilhado para divisão de despesas. A dúvida é referente a publicidade. É possível a criação de website, logotipo, fanpage para cada advogado, individualmente? Com o mesmo endereço comercial? Obrigado. Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Acredito que seja possível a criação de ambientes distintos com o mesmo endereço, ok!

      Excluir
  49. Boa tarde.
    Primeiramente, parabéns pelo belo trabalho em auxiliar os jovens advogados.
    Gostaria de saber como se procede a divisão de lucros de um escritório de advocacia com 2 sócios? Quem leva o cliente tem uma porcentagem a mais com relação a esse cliente?
    Obrigado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Procure textos sobre isso, mas em tese, é possível remunerar os sócios pelo trabalho jurídico, pelo trabalho administrativo de gestão e também pelo aspecto comercial (captação). O mais fácil é um % para quem indica o cliente e tentar, pelo menos no começo, realizar funções e volume de trabalho próximos! Boa sorte

      Excluir
  50. Dr. Luiz Fernando, gostaria de parabenizá-lo pelo blog, os assuntos abordados aqui ajudam muito a nós, jovens advogados.
    Estou montando um escritório com uma colega para divisão de despesas. Gostaria de saber se caso atuarmos juntas nas causas (procuração,atuação e assinatura das duas nos processos) pode caracterizar sociedade irregular?Obrigada.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bom dia! Que legal! Leia os textos, divulgue o blog! Se possível leia o livro da Saraiva sobre gestão! Sobre sua pergunta, acredito que não, basta não se denominarem "sociedade", basta não agirem de tal modo a configurar uma sociedade irregular, e logicamente cuidado com a regularidade e o tempo da informalidade, pois o ideal é partir para a formalização! Além disso, um cliente pode constituir duas advogadas livremente ok! Atenciosamente

      Excluir
  51. Meu nome é Walzélia Araújo.
    Boa tarde Dr. Luiz! Realmente, com simplicidade e objetividade, seus textos tem ajudado a muitos jovens advogados como eu. Seria inoportuno de minha parte pedir uma opinião? Estou montando meu pequeno escritório e tenho uma dúvida imensa, e preciso dividi-lá para obter ajuda. Fui gerente de um grande banco durante quase 19 anos e, hoje, formada em Direito com OAB recente, vejo um campo de atuação, ainda não explorado em minha região,trata-se do Direito Bancário. Estou na dúvida se devo colocar essa área de atuação no meu cartão de visita. Tenho medo de restringir a procura dos clientes por outras áreas e perder oportunidades. No entanto, sei que se outro advogado o fizer, poderá abocanhar uma grande fatia do mercado. Optei por essa área, Direito Bancário, pois carrego uma vasta experiência em produtos e serviços bancários, pelos anos em que atuei como funcionária. Poderia me dar sua importante opinião? Agradeço, demasiadamente, desde de já.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Cara Walzelia, o caminho a ser trilhado está correto: unir seu conhecimento não jurídico à sua atuação profissional. Mas, eu não colocaria isso no cartão de visita, pelo menos por enquanto, no início faça apenas divulgação disso boca a boca, pelas redes sociais, sem perder de vista o atendimento generalista do advogado em início de carreira! Sucesso!!!

      Excluir

Leitor, por favor, identifique-se!